=>Carpe diem quam minimum credula postero

Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006

Família e orçamento 2007

Hoje divulgo aqui um artigo de Fernando Castro, que vi na agencia ecclesia e que me faz reflectir nomeadamente no contraste de termos que apertar o sinto em troca de um TGV... È óbvio que o País não pode perder o comboio Europeu, mas porque razão a nível de vencimentos e de nível de vida, continuamos a ser o País atrás de todos?...
 
O orçamento 2007 é fortemente restritivo, o que é compreensível. Como todos sabemos, ninguém pode (ou deve) gastar mais do que ganha, e há muito tempo que o país gasta acima das suas possibilidades.
 
Como tem sido anunciado pela comunicação social, estas restrições atingem quase todos os ministérios, designadamente o da Saúde, que terá que, nomeadamente, aumentar as "taxas moderadoras" para conseguir um equilíbrio financeiro. Mas, ao mesmo tempo, está fortemente empenhado em gastar mais 20 milhões de euros no financiamento do "aborto a pedido", enganosamente embrulhado em "despenalização da interrupção voluntária da gravidez".
 
Como também não é compreensível que, em altura de justificadíssima austeridade, em que se pede (e se impõe) sacrifícios às famílias portuguesas, se continue em insistir em obras faraónicas como o TGV e o aeroporto da OTA! Como é que, numa família, se compreenderia a necessidade de se apertar o cinto ao mesmo tempo que o pai adquire um carro novo topo de gama? Não seria muito mais barato e útil, contribuindo-se de forma mais eficaz para o tão propagandeado aumento da produtividade, investir-se seriamente nos transportes urbanos e suburbanos, onde milhões de horas são consumidas diariamente pelos portugueses? Quem é que vai usar o TGV, mais lento e com bilhetes mais caros que o avião? Não sabemos quem vai usar, mas sabemos quem vai pagar: todos os que não o vão usar…
 
Com este orçamento, finalmente acabou-se a discriminação fiscal dos casados relativamente aos solteiros! Finalmente, os portugueses deixam de pagar mais imposto por se casarem! No entanto, mantém-se a fortíssima discriminação relativamente aos divorciados, que podem deduzir até 6.500 Eur por filho. Ora, uma vez que, infelizmente, o número de divórcios já é metade do número de casamentos, surge a natural pergunta: porque não permitir-se uma dedução de 3.250 Eur por filho independentemente do estado civil? Não seria uma medida justíssima, sem qualquer impacto no Orçamento do Estado?
 
O ano de 2007 não vai ser mesmo nada famoso para as famílias portuguesas. Para além das medidas restritivas deste Orçamento, temos a continuação do aumento das taxas de juro, fazendo disparar as prestações da casa e, ainda, o anunciado aumento dos bens de primeira necessidade, como é o caso da electricidade!
 
Enfim, não vai ser fácil! Vai ser altura de apertar o cinto, mas também será uma excelente oportunidade para darmos mais valor aquilo que "não tem preço": o tempo, atenção e amor que podemos e devemos dedicar ao mais próximo, a começar por quantos fazem parte da nossa família!
 

by pdivulg às 01:23
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Nylda a 16 de Novembro de 2006 às 11:37
Olá amigoPaulo...
E por eu dar muito valor ao que não tem preço vim dixar-re um sorriso.
O Valor de um Sorriso não custa nada e rende muito...
Enriquece quem recebe, sem empobrecer quem dá...
Dura somente um instante, mas seus efeitos duram para sempre...
Ninguém é tão rico que dele não precise...
Ninguém é tão pobre que não possa dar a todos...
Leva a felicidade a todos e a toda parte...
É o símbolo da amizade, da boa vontade...
É o alento para os desanimados, repouso para os cansados,
raia de sol para os tristes, ressurreição para os desesperados...
Não se compra não se empresta...
Nenhuma moeda do mundo pode pagar o seu valor...
Não há ninguém no mundo que precise tanto de um sorriso,
como aquele que não sabe mais sorrir...
Bom fim de semana para ti!

Beijos e um Sorriso!


De Galeriacores1 a 16 de Novembro de 2006 às 12:28
Não sou nenhum perito em economia mas penso que o grande problema português de sempre é que continua a haver pouco investimento público. Os grandes empresários deste país, habituados à inércia de antigamente, têm medo de investir e conformam-se com o pouco que actualmente recebem. São empresários de pouca visão que acabarão por perder todos os comboios do progresso e não ir a lado nenhum. Com esta inércia empresarial acompanhada por uma frágil e baixa produtividade, à mistura, surgem consequentemente as falhas orçamentais que empurram o país para a estagnação em que se encontra actualmente. Depois são as famílias e todos os que se encontram no desemprego que sofrem as consequências desta inércia e estagnação. É pena que assim seja. Portugal precisa de empresários competentes de forma a inverter esta triste situação mas, pelo andar das coisas, está para tarde uma solução eficaz do problema o que é de todo lamentável.


De js a 16 de Novembro de 2006 às 14:00
conto em breve fazer uma divulgação do trajecto do TGV... é que não lembra o diabo!... a solução optada na região metropolitana de Lisboa, na Ligação Lisboa-Ota ... o TGV vai passar por monte e vales ... terão que ser feitos tuneis e pontes ...como vai passar a menos de 200 metros de minha casa, conheço bem parte desse trajecto ...só visto ... parece que escolheram a melhor forma de gastar mais dinheiro...
e talvez eu não esteja muito longe da verdade...pois quanto mais dinheiro o estado gastar neste projecto mais dinheiro os partidos virão a ganhar...(depois explico esta teoria)
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt


De padeiradealjubarrota a 17 de Novembro de 2006 às 19:57
Concordo. Mas o espírito de sacrifício exigido pelos governantes, tem dar frutos caso contrário é revoltante! Há limites...E continua a haver muitas injustiças...e tachos!


Comentar post

=>A Foto do dia

=>postas recentes

=> Mudança dos tempos

=> Ponto final

=> 95 Primaveras

=> Festa da Fé_Leiria 2010

=> Coleccionando flores....

=> Passatempo

=> Para onde vais Portugal

=> Os tempos mudam

=> O CÚMULO DA IRONIA .........

=> Anedota da Páscoa

=>arquivos

=> Outubro 2010

=> Julho 2010

=> Maio 2010

=> Dezembro 2009

=> Outubro 2009

=> Abril 2009

=> Fevereiro 2009

=> Janeiro 2009

=> Dezembro 2008

=> Novembro 2008

=> Outubro 2008

=> Maio 2008

=> Abril 2008

=> Março 2008

=> Fevereiro 2008

=> Janeiro 2008

=> Dezembro 2007

=> Novembro 2007

=> Outubro 2007

=> Setembro 2007

=> Julho 2007

=> Junho 2007

=> Maio 2007

=> Abril 2007

=> Março 2007

=> Fevereiro 2007

=> Janeiro 2007

=> Dezembro 2006

=> Novembro 2006

=> Outubro 2006

=> Setembro 2006

=> Março 2006

=>pesquisar

 

=>Outubro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


=>A passagem do dia

=>A citação

=>Escreva-me: pdivulg@sapo.pt

=>O Tempo por cá

=>Fases da lua


moon phases
 

=>Contador

=>mais sobre mim


=> Perfil

=> seguir perfil

. 6 seguidores

=>tags

=> todas as tags

=>O meu selo

PDivulg

SAPO Blogs

=>subscrever feeds